quinta-feira, 8 de maio de 2014

Como assim?

às 17:52
Reações: 

Quando abro os olhos vejo o que não é real e perecebo que o real está naquilo que não é tangível.
Então o que é invisível se revela o real do real. O que é pra uns surreal se torna o que realmente o é.

Como posso traduzir a minha breve existência sem a tua?

Se em canções,  poesias e prosas. Telas e ações,  tudo virará pó.  Porém Tu, o real, permanecerá eterno.

Sou tão frágil e vulnerável. Não subsisto mais no irreal. Nada sou sem o invisível.

Olho e vejo as escamas nos olhos que não te vêem. Como posso viver com isso?

Nada sou, tu és o Eu Sou. Eu sou me enviou. Sempre quis entender.

Daqui um tempo nos veremos face a face e o que farei?!

Quem sou eu? Vaidade? Medo? Inconstância?
Não!

Todas as manhãs tua misericórdia me espera e me alegra na minha existência. Tua existência.

Como podem ainda não crer em Ti?

Oh Deus! Olho pro céu e contemplo a tua glória.

----------

Livra-me dessa dor angustiada causada pela minha atual impotência e faz crescer em mim aquilo que sonhastes para  me usar.
Ensina-me a não ser medíocre e também contar os meus dias.

Leva-me ao teu encontro pra entregar-me o meu verdadeiro nome.

Meu segundo nome!

Eu sou a segunda

0 comentários:

Postar um comentário

 

Andando na Luz Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos